CONTO ERÓTICO - MEU PRIMO ME PEGOU COM O CONSOLO NO RABO

Estava de férias do trabalho, e dessa vez fui a casa de uma tia em minas, ela e meus primos sempre me chamavam para ir até lá passar uns dias com eles. Desta vez deu certo.  
Peguei o carro e parti. Chegando la, fui muito bem recebido, com muita comida (tipico de mineiro). Comemos, botamos o papo em dia, demos bastante risada. Só estava um de meus primos lá o mais novo, minha tia e meu tio. Minha prima estava na faculdade em utra cidade e viria somente no final de semana, meu outro primo chegaria durante a  noite de uma viajem. 

Como já estava ficando tarde, minha tia arrumou o quarto da minha prima pra mim ficar por lá. Me despedi do pessoal e fui me deitar, a viagem tinha sido longa. Dei um cochilo e acordei no meio da noite, com frio, as cobertas que minha tia havia deixado não deram. Me levantei e fui procurar mais no armário. Encontrei na parte de cima, quando fui puxar ao sair a coberta caiu uma caixa no chão. Abaixei e a peguei, e pra minha surpresa caiu de dentro um consolo. Olha minha prima não sabia, mas estava salvando minha noite. Peguei ele e fui pra debaixo das cobertas, comecei a brincar. Era grande porem fino, tirava e colocava de novo, bem gostos enquanto me masturbava. 
Aquilo foi me esquentando, retirei as cobertas e continue a brincadeira. Estava bem distraído quando de repente alguém abriu  a porta do quarto. Nossa que susto, dei um salto na cama, estava de pau duro e com o consolo enfiado no rabo. Era meu primo, que havia acabado de chegar de viagem, ele ficou muito sem grança, não sabia o que fazer apenas disse:

- Nossa cara, não sabia que você estava aqui, nossa, foi mal.  
Falou isso fechou a porta e saiu. Meu tesão já era com o susto. Fui ate o banheiro do quarto, lavei o consolo e guardei no lugar. 
No outro dia pela manha, estávamos todos na mesa para o café, eu e o meu primo mal nos olhamos. Assim que comemos sai da mesa e fui para o quintal, em seguida meu primo veio e me chamou em um canto  dizendo:

- Cara me desculpa, eu entrei pra pegar mais coberta, foi mal. Pode ficar tranquilo, não vou falar pra ninguém, vai ser nosso segredo. 
Disse pra ele relaxar e ficar tranquilo. Mas meu rosto queimava de vergonha. Nos despedimos e ele foi pro trabalho e eu curtir a cidade.
  
Voltei para o jantar, passei um tempo com eles, tomei um banho e fui me deitar novamente. Dessa vez nem arrisquei pegar o consolo.  
Diferente da noite passada essa estava quente, então me deitei somente de cueca e um lençol por cima. Estava em um sono profundo, quando sinto algo sobre mim, tento me levantar assustado e não consigo. Era meu primo, estava com sua mão na minha boca e fazendo sinal de silencio com a outra. Veio em minha direção falando  em meu ouvido: 
- Você gosta de brinquedos? Tenho um aqui pra você. 

Tirou sua mão da minha boca, parou do meu lado abrindo suas calças e pondo seu pau pra fora. Nunca me imaginei chupando meu primo, mas não resisti, aquele macho me oferecendo um pau assim no meio da noite. Chupei, cai de boca bem gostoso, mamei o pau dele, centrômero por centímetro. Enquanto mamava ele ia tirando sua roupa, ficou totalmente sem nada. Me pegou pela cabeça e forçou ela contra seu pau, me forçando a ficar com ele dentro da boca, socava forte. Cada vez ele socava mais e mais, até que senti seu gozo la no fundo da garganta. Engasguei com sua porra, o  empurrei para trás. Ele retornou veio ate mim, subiu na cama me virando de bruços, tirou minha cueca e começou a chupar meu rabo. Passava a linguá como um viciado, louco de vontade de foder. Se posicionou atras da minha bunda e colocou seu pau, ainda estava duro, não sei como. Ele meteu com força, com certeza estava muito afim de um rabo a tempos. Bombava e foçava meu rosto em direção o travesseiro. Metia gostoso o puto, e o seu pau não ficava mole. Metia com vontade. Ate que gozou novamente, dessa vez ele não aguentou caiu sobre mim ofegante. Confesso que estava excitado e assustado, não podia imaginar fazendo aquilo com meu primo.  
Se levantou, me pediu desculpas e saio do quarto. ​Fiquei sem intender, e estava cheio de tesão, bati uma e me voltei a dormir.  
No dia seguinte não o vi no café e nem durante o dia todo.  Chegou tarde, dessa vez eu fiquei esperando ele, precisava conversar e entender o motivo daquilo. Quando chegou me viu, e veio até mim falando:

-Ainda bem que você esta aqui me esperando, preciso muito falar com você. Não queria ter feito aquilo, foi mais forte do que eu você me deixou com muito tesão. Passei o dia todo pensando em você com aquele consolo no rabo, não sou disso. Nunca sai com homem...

Disse pra ele relaxar, e ficar tranquilo. Estávamos sentados na sala, me aproximei dele coloquei  minha mão sobre us aperna e disse: 
- Ninguém precisa focar sabendo o que aconteceu com a gente. Prometo, vai ser nosso segredo. Mas, você gostou? 
Ele se levantou, olhava pra mim com as mãos na cabeça e falava:
- Eu gostei... mas isso não é certo, somos primos e você é homem. 
Pedi pra ele se acalmar e me seguir até o meu quarto, que iria lhe mostrar uma coia. Ele veio se sentou ao lado da cama, me aproximei dele, bem lentamente e lhe dei um beijo. Se afastou, e pediu pra mim não se aproximar, que ele não queria mais isso. Disse pra ele relaxar, só aquela noite que se ele não gostasse nunca mais faríamos nada.  Fui novamente até o encontro da sua boca, e ele meio sem jeito retribuiu. Mas não demorou muito pediu pra parar, que aquilo não era certo. Tapei sua boca novamente com um beijo, comecei a passar a mão por seu corpo e a tirar sua camisa. Ele ainda estava relutante, não queria se entregar. Foi ai que percebi o quão gostoso ele era. Peitoral lisinho, corpo bruto de macho.

Fui descendo minha mão ate chegar a sua calça, a abri enfiei minha mão e peguei seu pau, que estava duro e babando. Me ajoelhei em sua frente baixei suas calças e comecei a chupar aquele macho gostoso, ele se rendeu. Deitou sobre a cama e me deixou comandar. Chupei bastante aquele pau gostoso, e fui tirando minha roupa. Deixei  seu pau bem lubrificado, abri minhas pernas, subi sobre ele e fui encaixando meu rabo naquele mastro. Sentei em seu pau, e fui descendo bem devagar ate entrar tudo. Me inclinei até sua boa e comecei a beija-lo enquanto subia e descia com minha bunda em seu pau. Levantei e continue a cavalgar, dessa vez comecei a me masturbar, logo veio o gozo, gozei muito com o pau dele dentro de mim, espirrou porra até em seu rosto.  Em seguida me tirou de cima, e me pôs de quatro ao lado da cama, continuou a me fode, meteu gostoso. Tirou o pau do meu rabo me pedindo pra chupar, mamei bastante, ate vir o seu gozo, enchendo minha boca com aquela porra quente e grossa.

Dessa vez ele não saiu correndo se sentou ao meu lado na cama, olhou pra mim deu risada dizendo: 
- Cara você é louco, olha como estamos. Vamos pro banho?  
Fomos para o banho e batemos um papo bem gostoso. Ele estava mais tranquilo, e bem mais solto nos papos. Pós banho voltamos pra cama e dessa vez ele dormiu por ali comigo.  
Passamos varias noites assim, aproveitei bem minhas férias la com ele.
  
Hoje ele é casado tem filhos, mas sempre que nos vemos comentamos entre nos o que aconteceu. Ele me diz que nunca mais saiu com outro homem, e que tem saudades das nossas noitadas. Esse final de ano a família vai se reunir, quem sabe não matamos  a saudade.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ENCONTRO - O PAULISTANO PELUDO ME FODEU

ENCONTRO - O EX TENENTE VOLTOU - FODA DE DESPEDIDA

CONTO ERÓTICO - O HÉTERO MACHÃO ME CHUPOU NA PISCINA