CONTO ERÓTICO - NA CACHOEIRA COM O COROA

Estava no alto verão, um calor insuportável, que não tinha como  ficar dentro de casa, na rua, em lugar algum.  Resolvi sair a procura de algum lugar pra me refrescar. Foi ai que me lembrei de uma cachoeira próximo a onde morava, peguei o carro e fui. Chegando lá  percebi que não era só eu  que estava com calor, estava cheia, mal dava parar o carro. Mas eu precisava nem que fosse de uma poça de água pra me refrescar.  

Desci e fui até a cabeceira dela, como era de se esperar, estavam todos lá. Impossível passar. Resolvi descer a cachoeira, e ir até o final dela. Olhando la de cima não tinha ninguém lá. Também, tinha que estar muito disposto a descer uma ribanceira sem escadas e muito mato. Mas  lá eu tinha certeza que iria ficar tranquilo e me refrescar.  
Desci, desci e desci mais um pouco. Enfim, cheguei no meu paraíso, tranquilo, muito espaço, muita água. Era tudo o que eu precisava. Tirei minha roupa, coloquei minha sunga e me sentei nas pedras. Fiquei um bom tempo assim, tranquilo, até que ouço um barulho no mato, me virei rapidamente e vi que descia um homem, aparentemente só. Provavelmente estava a procura de tranquilidade também.  
Fiquei na minha, sentado ali. Mas não pude deixar de olhar, o cara aparentava ter entre 45, 50  anos. Corpo peludo, loiro, branco, não era muito alto, um bunda que apertava na sunga. Ele se sentou um pouco mais a frente de mim. Não conseguia disfarçar, não parava de olhar pra ele. Claro que percebeu, vi que estava um pouco incomodado, me controlei e parei de olhar.  
Fui para um canto um pouco mais reservado, onde pegava mais sol, me deitei olhando para cima e acabei pegando no sono. Foi um cochilo rápido, acordei, estava excitado. Tentei disfarçar, mas impossível. Olhei para ver se ele estava ali ainda, continuava no mesmo lugar, e dessa vez ele que não tirava os olhos de mim.  
Fiquei na minha, fechei meus olhos e coloquei o braço sobre meu rosto para tapar um pouco do sol, e continuei ali deitado, escuto alguns passos vindo em minha direção, fazendo barulho na água. Dei uma olhada bem discreta só para confirmar, era ele vindo em minha direção. Continuei ali, deitado, só observando. Ele parou do meu lado, ficou me olhando e alisando o pau, quando me dou conta ele estava se masturbando olhando pra mim ali deitado. Meu pau que já estava duro, começou a pulsar na  sunga. Tirei minha mão do meu rosto e olhei pra ele, dando aquela pegada na mala. Claro que entendeu meu recado, se ajoelhou do meu lado, tirou meu pau pra fora e começou a chupar. O safado não conseguiu por tudo na boca, bem que tentava mas não dava conta. Ele ficou ali alisando, e chupando a cabecinha dele por um bom tempo... Estava perfeito, sol, água, e uma boa chupada no pau. Mas claro que podia melhorar.
O putão maduro e peludo tirou sua sunga  e veio por cima de mim com aquele rabo gostoso, se virou de costas, e veio sentando. Aquela cena me deixou louco, ele tentando por meu pau no seu rabo, mas não ia, ele era muito apertado, precisávamos de um lubrificante. Pedi pra ele se levantar e ficar de 4 pra mim. Ia cuidar daquele rabo bem gostoso.  
Ele ficou de 4, meio acanhado, estava na cara que ele nunca tinha feito isso. E confirmei, quando abri aquele rabão gostoso e vi, ali, todas as preguinhas daquele cuzinho, que delícia. Cai de boca, chupei, chupei muito, meti a língua naquele rabo, ele gemia, o puto estava se arrepiando. Cada linguada no rabo dele era uma gemida mais forte. Lubrifiquei meus dedos com minha saliva e fui colocando bem gostoso, aos poucos. Coloquei 1, ele trancou, pedi pra relaxar e empinar aquela bunda gostosa, ele obedecia bem gostoso e tímido, em momento algum olhava pra mim. Brinquei gostoso com 1 dedo, e fui colocando o outro, 2 dedos no rabo e ele gemia, gemia muito gostoso, coloquei mais um. O safado estava delirando, quando fui colocar o quarto dedo ele deu um gemido alto, estava gozando sem por a mão no pau. Caralho que tesão, nunca tinha passado por isso, ele gozava tão gostoso que travou meus dedos no rabo. A, o que foi aquilo? Fique de pé atrás dele pedindo pra ele continuar ali de 4, comecei a me masturbar até gozar gostoso nas costas dele. Gozei fartamente naquele coroa, mas eu não estava satisfeito queria mais. Queria o rabo dele. 
 Depois disso, se levantou, meio tímido olhou pra mim e disse que era a primeira experiencia dele com homem. Sempre teve vontade, mas nunca coragem, mas quando me viu deitado de pau duro não aguentou.  
Batemos um bom papo, ficamos  tarde toda ali juntos, me contou que era casado, dos fetiches e fantasias que tinha vontade de realizar... foi uma conversa muito agradável. Porém não aconteceu mais nada depois daquilo. (Pôquer ele não quis, eu insisti bastante). Disse que queria sentir meu pau, mas não ali, em um local mais intimo.  
Subimos de volta para a cabeceira da cachoeira, fui ate seu carro e ele anotou meu contato. Disse que iria me ligar para combinarmos um encontro, e terminarmos o que havíamos começado.   
Não é que depois de um bom tempo ele me ligou, e o coroa deu gostoso e realizou um fetiche bem curioso...


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ENCONTRO - O PAULISTANO PELUDO ME FODEU

ENCONTRO - O EX TENENTE VOLTOU - FODA DE DESPEDIDA

CONTO ERÓTICO - O HÉTERO MACHÃO ME CHUPOU NA PISCINA