CONTO ERÓTICO - FODA COM O PM - SEXO NA GUARITA PARTE II

Depois daquele encontro absurdo, nem consegui comer nada,  voltei pra casa. Passei o dia com tesão e pensando no que aconteceu, e, no que ainda iria acontecer. Não acreditava  no que passei. (PRIMEIRA PARTE)
Segui meu dia, digamos, "normalmente", tentando fazer mil coisas pra hora passar, estava difícil. O relógio não estava colaborando, o tempo estava travado.
Assim passei o dia, tentando controlar minha ansiedade. Até que então... ANOITECEU. Maravilha, era agora. Iria realizar um dos meu maiores fetiches, foder um PM. Já sai de casa de pau duro. Fui...
CHEGUEI, fiquei observando, ele não estava na guarita, já fiquei tenso, será que ele não vinha? Só falou aquilo pra me fazer de tonto? Bom, depois de pensar isso, parei e analisei, não deve ter trocado o turno ainda, ou ele esta ocupado... sei lá. Fiquei  esperando em um ponto de ônibus que tem bem enfrente, dava pra ver quem entrava e saia da guarita. Fiquei mais de uma hora, nada. Desisti, estava me sentindo um trouxa. Sai dali e fui caminhando em outra direção. Tentando conter aquele tesão mal resolvido. Parei em uma praça e fiquei lá um bom tempo.
Já estava voltando pra casa, era tarde, estava bem escuro e a rua com pouco movimento, passei em frente ao quartel, de cabeça baixa, desanimado. Quando de repente ouço " PARA AI CARA" GELEI, e travei no local. Era o PM, ele veio por traz de mim e me pegou pelo braço com força. Me arrastou pra dentro da guarita me jogando em uma cadeira. Segurou meu rosto com a mão, olho bem no meu olho e disse "Achou que eu ia deixar você escapar, quero teu pau no meu cu, seu viado" PORRA... fiquei de pau duro na hora. Ele desceu a mão e segurou meu pescoço, com a outra abriu minha calça, e colocou meu pau pra fora. Quando me dei conta ele caiu de boca e me chupava feito louco, com vontade, muito melhor do que da outra vez. Peguei minhas mão e forcei a cabeça dele. Não foi um boa ideia (ou foi?).
Na mesma hora ele se levantou pegou meus braços, colocou pra traz da cadeira e os algemou, prendeu meu pescoço com seu braço, bem forte, falando  " Quem manda aqui sou eu, fica sentando que o restou eu faço" PUTA QUE PARIU, QUE TESÃO. Eu estava travado, imóvel, com um tesão que nunca senti na vida, não tive reação só concordei.
Terminou de baixar minhas calças até o chão, caindo de boca, chupando, pegando no meu pau, chupava como se nunca tivesse visto um pau assim. E eu ali olhando aquele tesão de macho me chupando, todo fardado, forte, gostoso... Ele se levantou, fico de pé na minha frente, com aquele pau marcando a farda, foi se virando de costas, parou. Começou a soltar o cinto, o jogou sobre a mesa, abriu a calça e começou a descer, o safado estava sem cueca, e conforme ia descendo a calça eu ia vendo, quão perfeita era aquela bunda. Redonda, lisinha... meu pau latejava. Ele tirou toda a calça, ficando de 4 na minha frente pra tirar a bota, ficando só de colete e camiseta.
Veio chegando perto de mim, segurou meu pau, deu uma cuspida nele, cuspiu na mão e passou bem na entrada do seu rabo, veio se encostando no meu pau, bem devagar, brincado com a cabeça dele, só na portinha. Se levantou, pegou uma camisinha coloco no meu pau, e voltou a vim encostando aquele rabo. Nossa estava entrando, que rabo, que delicia. Foi bem devagar, entrou tudo, gemia gostoso.
Ele começou a rebolar no meu pau, que sensação maravilhosa, eu ali imóvel com as mão algemadas, naquela salinha pequena, com uma janela que dava pra ver tudo na rua e aquele macho sentando de costas pra mim, com meu pau todo dentro dele. Aquela bunda enorme, dura, ele gemia gostoso, bem baixinho. Eu louco pra dar uns tapas naquele rabo, e não tinha como. Que tesão, ele dava muito, queria um pau no cu. Levantou, virou de frente pra mim, e engoliu meu pau com o rabo, olhando com aquela cara de puto, foi tirando o resto da farda, nossa, que corpo que homem. Sentado no meu pau, lambia a boca, mordia os lábios. Pedia pra socar com força, que queria meu pau arrombando ele . Meti, meti gostoso, no calor do momento ele veio e me deu um beijo, nossa, ai que pirei, ele pegava no seu pau, batia bem gostoso, pulava no meu colo, gemia baixinho no meu ouvido pedindo pra mim comer ele mais, mais e mais. O puto sabia rebolar num pau, dava muito gostoso, sentava e subia, sentava e subia, rápido, devagar...
Eu estava pirando, queia gozar, e ele ali insaciável, cada vez mais aumentando a frequência, não aguentei, gozei, e gozei muito, ai que ele piro, coloco a mão na minha boca e a outra no seu pau, me beijava e eu gemendo de prazer, e ainda com meu pau duro dentro dele. Ai senti aquele jato quente no meu peito, ele tava gozando, mordia a boca, pra não gemer alto, pulava no meu pau, se contorcia todo. Aquele macho enorme estava rendido, estava nítido, ele estava acabado e eu mais ainda.
Ele sai do meu pau, pega a farda a veste, comigo amarrado ali na cadeira só olhando, o safado ainda gostava de se exibir. Veio me soltou e disse " Vaza" Me vesti, sai dali, de perna bamba. Sem reação.
Cheguei em casa o máximo que consegui fazer foi me deitar e tentar dormir, estava em êxtase.
Depois desse dia passei ali em frente pra ver se o encontrava. Nunca mais o vi. Acabei me mudando dali. O que foi uma pena.
Mas será que minhas aventuras com os fardados pararam por ai? hehe


Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ENCONTRO - O PAULISTANO PELUDO ME FODEU

ENCONTRO - O EX TENENTE VOLTOU - FODA DE DESPEDIDA

CONTO ERÓTICO - O HÉTERO MACHÃO ME CHUPOU NA PISCINA