CONTO ERÓTICO - FODA FORTE NA CONSTRUÇÃO

Tinha acabado de  mudar pra uma pequena cidade do interior de São Paulo, muito simpática e pacata. Não tinha praticamente nada para fazer, então as vezes pegava minha moto e saia para andar. Um final de semana me empolguei no passeio e volte tarde para lá. 
No caminho sentido minha casa observei um rapaz caminhando a minha frente, passei com a moto e ele  seguiu com os olhos. Olhei pelo retrovisor o safado deu uma pegada na mala, na hora dei a volta no quarteirão e voltei. Ele estava indo em direção a uma casa em construção. Parei minha moto perto. Estava escuro, um pouco frio. Ele parou próximo à entrada da casa, fui até lá com a roupa de motociclista e de capacete. Ele perguntou de onde eu era, disse que não morava ali. Então veio com a mão e pegou no meu pau, perguntando se eu queria uma chupada. Saiu na minha frente me chamando para ir até a construção, entramos no que parecia ser a sala.
Não dava pra ver muito bem.
Abriu a minha calça e começou a me chupar, que tesão, chupava gostoso. Que delicia de boca. Que situação gostosa, eu ali todo com a minha roupa de motociclista e ele me chupando, ajoelhado e olhando pra mim, louco pra ver meu rosto, e eu não tirava o capacete.  
Me chupou gostoso por um bom tempo, e disse que precisava sair. Falei pra ele voltar, que no dia seguinte naquele mesmo horário iria está ali esperando. 
No dia me arrumei e fui até lá de moto novamente, com a mesma roupa. Pareie no mesmo lugar e fiquei esperando, não demorou ele chegou, passou perto de mim e foi entrando. Peguei ele pelo braço e disse: 
- Espero que esteja afim de uma boa foda, pois só sai daqui hoje quando goza bem gostoso no seu rabo.  
Ele me olhou assustado, ficou parado. Mas logo em seguida retrucou: 
-  Quero ver quem vai pedir pra parar primeiro.    
Nossa aquilo me deixou louco, desci da moto peguei ele pelo braço e levei até a construção. Fiz ele se ajoelhar e me chupar  bem gostoso, fazendo meu pau ficar duro em sua boca. A que boca. Estava mais frio que o dia anterior, coloquei ele de pé e comecei a arrancar sua roupa, a camisa a calça e a cueca, deixei ele pelado ali na minha frente. Falou que estava com frio, disse pra ficara quieto que eu ia  esquentar ele rapidinho. Queria que  tirasse minha roupa, falei não, e nem meu capacete. Quem mandava ali era eu, e ele ia ser minha puta.   Ele estava  com o pau duro feito uma pedra, o safado estava gostando.
Ele era baixo, corpo normal com barriguinha, uma bunda pequena, meio peludinho, um macho ao natural, bem gostoso.
Peguei ele e o encostei na parede, mandei abrir as pernas que ia mostrar como que se esquentava. Ele se virou, lubrifiquei ele com minha saliva de tanto chupar aquele cu, mandei ele abrir as pernas e meti de uma vez, segurando sua boca ele se contorceu e gritou. Meti mais ainda, ele pediu pra parar. Parei, Com o pau lá dentro. Sussurrei nos ouvidos dele: 
-Rebola bem devagar, pra você ir se acostumando.  
O puto obedeceu com maestria. Rebolava bem gostoso. Ele queria me ver, me beijar. Falei que queria somente mete no cu dele. Ele estava ficando mais safado ainda, assim que se acostumou com meu pau começou a rebolar mais e mais. Peguei ele pelo braço e mandei ficar de 4. Na hora ficou.  
Ele ali no chão, a meia luz, olhando pra mim e mandando eu meter. Era tudo o que eu queria. Enfiei meu pau no seu cu sem me ajoelhar no chão, e meti, meti com vontade. Ele gemia, e pedia mais. Forcei ele ali na terra, ele caiu de bruços de rabo pra cima.
Fui por cima dele e mete ali bem gostoso até gozar. Gozava e socava com mais força ele pediu mais pau.
Levantei ele peguei seu pau, e comecei a bater pra ele. Estava com a luva,  e com uma mão eu tapei sua boca, com a outra bateia e com a perna o prendia na parede. Fiquei um bom tempo assim. Soltei o pau olhei bem pra cara dele e falei:
- Agora você quem vai me foder.    
Ele não queria, disse que era só passivo.
Mas o pau dele estava feito rocha, e que pau gostoso, queria ele dentro de mim. Não deixei ele terminar sua desculpa, me abaixei, dei uma boa chupada naquele pau lubrifiquei meu rabo e encostei, foi entrando gostoso que delícia. Rebolei bem gostoso, e ele pedindo pra parar. Estava pirando gozou, nunca vi sair tanta porra de um pau. Que pau gostoso o dele, médio não muito fino mas com muito leite. Encheu a camisinha. Ele estava entregue. Disse que nunca fudeu assim.   
Ergui minhas calças, o ajudei a se vestir me despedi dele e fui embora.  
Dias depois estava no mercado da cidade, e ele estava lá, com uma mulher e 2 criança, uma no colo dele. O safado era casado. Vendo ele ali fiquei com mais tesão ainda, estava com o capacete na mão , passei por perto dele dei uma pegada no meu pau ele olhou, fiz sinal com a cabeça e olhei pro capacete. Ele sorriu pegou no pau dele meio que disfarçando, o safado ficou com tesão. Com certeza se lembrou da nossa foda.  E viu quem tinha fodido com ele. Fui embora e ele me seguiu com o olho.  
Depois daquele dia todas a vezes que o encontrava  estava  acompanhado. Infelizmente não tive outra oportunidade. 



Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

ENCONTRO - O PAULISTANO PELUDO ME FODEU

ENCONTRO - O EX TENENTE VOLTOU - FODA DE DESPEDIDA

CONTO ERÓTICO - O HÉTERO MACHÃO ME CHUPOU NA PISCINA